Movem cidades, rompem barreiras

06/03/2019

A primeira coisa que vem à mente das pessoas quando se pensa em alguém que trabalha com computação, dirigindo ou liderando é um homem. Por que isso acontece? Cristiane, Gelys e Yasmin, três motoristas, e Maria e Diana, duas colegas da Cabify, ajudam a gente a romper com todos os estereótipos e nos mostram, com esforço e talento, que a viagem a caminho da igualdade de direitos entre homens e mulheres dura os 365 dias do ano. Aqui contamos suas histórias!

Cristiane, Gelys e Yasmin, motoristas

A maioria das pessoas que trabalham dirigindo são homens. No entanto, felizmente, há cada vez mais mulheres no setor e isso é um reflexo de que algo está mudando para melhor na nossa sociedade. Cristiane, Gelys e Yasmin nos mostram que se dedicar a dirigir não é uma questão de gênero, mas de aptidões.

Ainda hoje, os passageiros ficam surpresos quando veem uma mulher motorista.

Maria, engenheira da computação

Na minha primeira reunião como líder da equipe em uma consultoria, me confundiram com a secretária.

A indústria da tecnologia está moldando nosso futuro. É por isso que é mais importante do que nunca que as mulheres façam parte dela. Em start-ups tecnológicas em todo o mundo, mulheres como Maria estão abrindo um caminho que nos inspira e nos encoraja a seguir seus passos no que, até agora, tem sido uma indústria dominada por homens.

Diana, Head Global de Relações Públicas

Na América Latina, apenas 25% das mulheres ocupam cargos de gerência e ainda persiste a crença generalizada de que devem se dedicar exclusivamente à vida familiar. No entanto, Diana, nossa Head Global de Relações Públicas, é pura liberdade e rompe modelos e preconceitos. Colombiana e líder, contribui a dar forma à cultura inclusiva da Cabify, ajudando para que as decisões tomadas sejam cada dia mais equilibradas. Ela inspira outras mulheres, dentro e fora da Cabify, a superar suas próprias barreiras.

Acho que um homem no mesmo cargo e com minha mesma formação poderia liderar tão bem quanto eu.

Graças a Cristiane, Gelys, Yasmin, Maria, Diana e a outras mulheres em todo o mundo que superaram as barreiras e quebraram estereótipos, estamos a caminho de um futuro mais justo. Mas ainda há um longo percurso a ser percorrido e muito trabalho a ser feito. Na Cabify, todos, independentemente de gênero, nos sentimos responsáveis por trabalhar pela igualdade de oportunidades entre mulheres e homens. Apenas através dessa diversidade, nossas cidades serão tão vibrantes, seguras e justas como desejamos!