Dia da Menina: trabalhamos pela igualdade de oportunidades

06/10/2019

Todo mundo deveria ter as mesmas oportunidades, sem importar o gênero. Por isso, em 2018, junto à Smartick, oferecemos 1500 bolsas para que meninas pudessem estudar matemática, reafirmando nosso compromisso com a diversidade e a igualdade nas nossas cidades. Meninas como Matilde, Aurélia, Mariel, Emília e Ana Priscilla, que não conhecem obstáculos na hora de sonhar, e também não deviam tê-los para conquistar seus objetivos.

Para o Dia Internacional da Menina, escutamos algumas das protagonistas desta ação.

Aurélia, 8 anos, da Espanha, quer ser tudo e muito mais. Sua imaginação voa sem limites. Tatuadora, maquiadora, surfista? Tanto faz! O importante é que nenhum estereótipo de gênero a impeça de chegar onde quer chegar.

Quero ser tatuadora, maquiadora ou surfista.

A mãe de Ana Priscilla, 12 anos, da República Dominicana, a inspira todos os dias e ela também quer ser uma referência para as meninas do futuro.

Quero ser advogada.

Matilde, 8 anos, do Chile, quer ser “robótica” e garçonete... e não se complica para dizer o porquê: ela gosta de robôs e quer ajudar as pessoas. E garçonete? Só para saber como é. Simples assim e nunca melhor explicado.

Quero ser "robótica" e garçonete.

A pequena Mariel, 8 anos, do México, tem dúvida entre veterinária, porque gosta de animais, e professora. Nós sabemos que pode chegar muito longe.

Quero ser veterinária ou professora.

Emília, 8 anos, do Equador, em 10 anos se vê saindo da escola e estudando para ir para uma das melhores universidades do mundo.

Quero ser cientista.

Na Cabify, com essa iniciativa, queremos minimizar as barreiras de gênero na educação e que mais mulheres possam seguir carreiras científicas e tecnológicas, nas quais o conhecimento matemático é essencial.

Sabemos que a diferença ainda é profunda e que essa ação é apenas o começo, mas continuamos avançando em direção a um futuro mais justo e inclusivo.